Instalando o VMware Tools no Ubuntu 14.04

O que é o VMware Tools

Bom, mãos a obra…

Entre no ESXi e botão direito do mouse, click em Guest, depois Install/Upgrade VMware tools;

Acesse a máquina virtual do Ubuntu e acesse a pasta /media/”seu usuário”;

Terá uma pasta VMware Tools, copie ela para dentro da máquina e descompacte o arquivo VMwareTools-***.tar.gz;

Após isso você terá uma pasta vmware-tools-distrib, acesse ela e execute o script com o comando ./vmware-install.pl;

Depois disso você vai dar enter várias vezes para as perguntas que ele irá fazer, e vai parar no linux-headers, pois ele não irá encontrar o caminho;

Então você vai passar esse passo a passo que encontrei no AskUbuntu:

cd /lib/modules/$(uname -r)/build/include/linux
sudo ln -s ../generated/utsrelease.h
sudo ln -s ../generated/autoconf.h
sudo ln -s ../generated/uapi/linux/version.h 

Depois é só colocar o endereço abaixo onde o VMware Tools esta perguntando sobre o caminho válido, onde a variável $(uname -r) é a versão do kernel a ser utilizada:

/usr/src/linux-headers-$(uname -r)/include

E THCARAMMMMMM… bom pelo menos comigo funcionou.

Configurando Bind9 no Debian do zero

Depois de consultar vários tutoriais de como configurar um DNS no Linux, cheguei ao meu próprio manual para instalação desse cara, vou descrever sucintamente, até porque é bem simples de se fazer.
Vamos lá…

Primeira coisa é instalar o serviço:
apt-get update
apt-get install bind9

Após isso nós vamos adicionar a zona, que é por quais domínios o seu DNS responderá, para isso vamos editar o arquivo:
vim /etc/bind/named.conf.default-zones

E adicionar o seguinte texto ao final do arquivo:

zone "seudominio.com.br" {
type master;
file "/etc/bind/db.seudominio.com.br";
};

Agora nós vamos criar o arquivo que terá todas as configurações do DNS:
Temos que criar um arquivo chamado db.seudominio.com.br, o qual é referenciado no arquivo named.conf.default-zones, tem que ter seu caminho completo especificado senão não irá funcionar:
Nós vamos utilizar um arquivo base para configurá-lo que é o db.empty
cp /etc/bind/db.empty /etc/bind/db.seudominio.com.br
cat /etc/bind/db.empty

; BIND reverse data file for empty rfc1918 zone
;
; DO NOT EDIT THIS FILE - it is used for multiple zones.
; Instead, copy it, edit named.conf, and use that copy.
;
$TTL 86400
@ IN SOA localhost. root.localhost. (
1 ; Serial
604800 ; Refresh
86400 ; Retry
2419200 ; Expire
86400 ) ; Negative Cache TTL
;
@ IN NS localhost.

O meu ficou assim:
vim /etc/bind/db.seudominio.com.br

; BIND reverse data file for empty rfc1918 zone
;
; DO NOT EDIT THIS FILE - it is used for multiple zones.
; Instead, copy it, edit named.conf, and use that copy.
;
$TTL 86400
@ IN SOA seudominio.com.br. root.seudominio.com.br. (
1 ; Serial
604800 ; Refresh
86400 ; Retry
2419200 ; Expire
86400 ) ; Negative Cache TTL
;
@ IN NS localhost.
www IN A 192.168.X.X
ftp IN A 192.168.X.X

Onde 192.168.X.X vai ser o IP do seus servidores que podem ser outras máquinas.

Temos também que colocar o nosso DNS no resolv.conf para que responda por ele mesmo:
vim /etc/resolv.conf
nameserver 192.168.X.X

Agora vamos testar o nosso DNS:

Vamos reiniciar o serviço do Bind9
/etc/init.d/bind9 restart

E agora verificar se a zona esta respondendo:

#named-checkzone www /etc/bind/db.seudominio.com.br
zone www/IN: loaded serial 1
OK
#host seudominio.com.br

E por último ping para seu domínio.

Se tudo correr bem seu DNS esta definitivamente funcionando, agora é só adicionar outros hosts e serviços para que ele possa resolver os nomes.
Espero que tenha ajudado e qualquer coisa é só comentar.

Samba 3.5.6 e LDAP no Debian 7

Um amigo estava com problemas no Samba 3.6.6 + LDAP no Debian 7.
Após quebrarmos as nossas cabeças para saber porque dava erro na hora de mapear a unidade com um usuário LDAP, que tinha mais de um grupo e que não pertencia aquele domínio, descobrimos que a versão do Samba estava influenciando no erro. Então decidimos realizar o downgrade do Samba.
Este tutorial servirá acredito eu para qualquer outra situação que você necessiti de tal recurso.

Vamos lá:
1° – iremos retirar os pacotes do pacote atual:
apt-get remove samba
E assim por diante conforme as dependências forem aparecendo.

2° – colocaremos no sources.list os repositórios que contenham a versão do pacote desejado:

## Repositorio do Debian Squezee
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main

deb http://security.debian.org/ squeeze/updates main
deb-src http://security.debian.org/ squeeze/updates main

# squeeze-updates, previously known as 'volatile'
deb http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze-updates main
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze-updates main

3° – atualizaremos a lista de repositórios:
apt-get update

4° – vamos procurar agora os pacotes desejados, mas da seguinte maneira:
apt-cache showpkg samba
2:3.5.6~dfsg-3squeeze11 (/var/lib/apt/lists/ftp.br.debian.org_debian_dists_squeeze_main_binary-i386_Packages) (/var/lib/apt/lists/security.debian.org_dists_squeeze_updates_main_binary-i386_Packages)
Ele irá lhe mostrar todas as versões existentes do pacote.

5° – instalaremos o pacote específico através da versão desejada, no meu caso o samba 3.5.6:
apt-get install samba=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11

Observação:
Isso será aplicado a todas as dependências, no caso do samba vai a lista aí em baixo:

apt-get install libwbclient0=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11
apt-get install samba-common=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11
apt-get install samba=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11
apt-get install smbclient=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11
apt-get install samba-common-bin=2:3.5.6~dfsg-3squeeze11

Espero que seja útil um dia.
Abraços

Script para adicionar grupos Unix e NT simultaneamente no Linux

Se você, assim como eu acha um saco cadastrar os grupos no Linux e depois ter que adicioná-los via net groupmap add, para que seus computadores com Windows reconheçam os grupos do domínio Samba, fica aí um pequenino script que faz essa tarefa chata para você:
Denominei ele de manutgroup.
Sintaxe:
#manutgroup nome_do_grupo


#!/bin/bash

cat /etc/group | grep -i $1 >> /dev/null
teste0=`echo $?`
net groupmap list | grep -i $1 >> /dev/null
teste1=`echo $?`

if test $teste0 = 0
then
echo "Grupo já se encontra cadastrado no arquivo group"
else
groupadd $1
echo "Grupo cadastrado no arquivo group"
fi
if test $teste1 = 0
then
echo "Grupo já se encontra cadastrado no arquivo groupmap list"
else
net groupmap add ntgroup="$1" unixgroup=$1 type=d
echo "Grupo cadastrado no arquivo groupmap"
fi

É bem simples e fácil de entender o que o script faz, até porque não sou bom em programação.
Pegue o conteúdo do arquivo e jogue dentro de uma arquivo, depois somente dê permissão de execução e se divertir.

Linux e Servidor Wins

Uma maneira de fazer com que as máquinas com Linux falem com o servidor Wins é instalando o Samba e configurando o arquivo /etc/nsswitch.conf.

Instale os seguintes pacotes:
apt-get install samba winbind

Configurando o Samba, partindo do princípio que ele está instalado:
[global]
workgroup = "Nome do Grupo de Trabalho"
netbios name = "Nome da máquina"
winbind use default domain = yes
obey pam restrictions = yes
security = user
encrypt passwords = true
wins server = "Endereço IP do servidor Wins"
template shell = /bin/bash
template homedir = /home/%U
# winbind separator = +
printing = cups
invalid users = root
idmap uid = 1000-20000
idmap gid = 1000-20000
winbind uid = 1000-20000
winbind gid = 1000-20000
template shell = /bin/false

Configurando o arquivo /etc/nsswitch.conf:
Na linha hosts coloque o “wins”.
hosts: files dns wins

Depois é só testar pingando para um nome.