Script para adicionar grupos Unix e NT simultaneamente no Linux

Se você, assim como eu acha um saco cadastrar os grupos no Linux e depois ter que adicioná-los via net groupmap add, para que seus computadores com Windows reconheçam os grupos do domínio Samba, fica aí um pequenino script que faz essa tarefa chata para você:
Denominei ele de manutgroup.
Sintaxe:
#manutgroup nome_do_grupo


#!/bin/bash

cat /etc/group | grep -i $1 >> /dev/null
teste0=`echo $?`
net groupmap list | grep -i $1 >> /dev/null
teste1=`echo $?`

if test $teste0 = 0
then
echo "Grupo já se encontra cadastrado no arquivo group"
else
groupadd $1
echo "Grupo cadastrado no arquivo group"
fi
if test $teste1 = 0
then
echo "Grupo já se encontra cadastrado no arquivo groupmap list"
else
net groupmap add ntgroup="$1" unixgroup=$1 type=d
echo "Grupo cadastrado no arquivo groupmap"
fi

É bem simples e fácil de entender o que o script faz, até porque não sou bom em programação.
Pegue o conteúdo do arquivo e jogue dentro de uma arquivo, depois somente dê permissão de execução e se divertir.

Anúncios

Linux e Servidor Wins

Uma maneira de fazer com que as máquinas com Linux falem com o servidor Wins é instalando o Samba e configurando o arquivo /etc/nsswitch.conf.

Instale os seguintes pacotes:
apt-get install samba winbind

Configurando o Samba, partindo do princípio que ele está instalado:
[global]
workgroup = "Nome do Grupo de Trabalho"
netbios name = "Nome da máquina"
winbind use default domain = yes
obey pam restrictions = yes
security = user
encrypt passwords = true
wins server = "Endereço IP do servidor Wins"
template shell = /bin/bash
template homedir = /home/%U
# winbind separator = +
printing = cups
invalid users = root
idmap uid = 1000-20000
idmap gid = 1000-20000
winbind uid = 1000-20000
winbind gid = 1000-20000
template shell = /bin/false

Configurando o arquivo /etc/nsswitch.conf:
Na linha hosts coloque o “wins”.
hosts: files dns wins

Depois é só testar pingando para um nome.

Uma lista de software’s legais para seu desktop

Aqui vai uma breve apresentação de alguns software’s que acho interessante ter num desktop, principalmente pra quem está começando no mundo livre.

Nesta lista não estou levando em consideração aplicativos que são padrão na maioria das distribuições e que são instaladas com interface gráfica, um exemplo seria colocar nesta lista o Openoffice.org, que já é consagrada como a melhor suíte de escritório livre ou o Gimp um editor de imagens que é comparado a ferramentas pagas de alta qualidade.

Gnome-obex-server – Compartilhamento de Arquivos via Bluetooth, receba arquivos enviados por dispositivos Bluetooth

Xsane + Gocr – Software para scanner e multifuncionais e ferramenta de OCR um belo par

Dia – Editor de diagramas com uma vasta coletânea de imagens divididas por tipos

Inkscape – Editor de imagens vetoriais, parecido com CorelDraw, só que mais simples claro mas muito poderoso

Evince – Ótimo visualidor de documentos do tipo pdf, ps…

aMSN – Um cliente msn com suporte a webcam e todas as firulas do Mensseger

Pidgin – Suporta vários protocolos de IM, muito legal pra usar com o gtalk

Firefox + Opera – Porque os dois? Para se ter menos problemas com sites que não são feitos em cima do W3C, ou com desenvolvedores web’s que não se preocupam com pessoas que não usam o iE, como os da Vivo

Limewire – Só tem um problema se você estiver utilizando um Compiz ou qualquer efeito 3D no servidor gráfico ele dá pane

Firestarter – Uma ótima interface de firewall para quem não quer se preocupar com altas configurações

Dvd::rip – Pra quem gosta de rippar um filme de vez em quando, é uma ótima pedida, apesar de ter uma interface complicada ele é bem eficaz

Elisa – Esse é pra usuários que gostam do conceito media center, ele reune suas fotos, vídeos, músicas… em um único lugar, visualmente é bonito, fácil de usar mas acredito que pode melhorar muito

Grip + Lame – Gosto muito dessa dobradinha para rippar CD’s para MP3

K3b – Uma das melhores interfaces de gravação de mídias com vários recursos, pra quem usa o Gnome e gosta de padronização aconselho o Brasero

QTEmu – Esse já é pra quem gosta de virtualização, é uma interface feita em QT para o Qemu, muito efeciente e fácil de configurar

Se tiver um software que goste e ache interessante outras pessoas conhecerem publiquem seus comentários para enriquecermos nossos desktops…

Ingressando Ubuntu em um domínio Samba

Este tutorial mostra como fazer máquinas com Ubuntu ingressarem num domínio com Samba, de maneira rápida e simples.

Teremos que efetuar algumas alterações no servidor para receber as máquinas com o Ubuntu.

Antes de qualquer coisa aconselho efetuar backup de todos arquivos que forem editados.

Vamos criar um script para adicionar os computadores:
#!/bin/bash
useradd -g machines -c "Samba machine" -d /dev/null -s /bin/false $1"$"
passwd -l $1"$"
smbpasswd -a -m $1

Criado o script, agora vamos colocá-lo no smb.conf no lugar do useradd… do item add machine script:
add machine script = machineadd %m

Agora temos que acertar o winbind dentro do smb.conf:
dmap uid = 1000-20000
idmap uig = 1000-20000
winbind uid = 1000-20000
winbind gid = 1000-20000
template shell = /bin/false

Agora é reiniciar o serviço do Samba.

Bom agora vamos estação, o desktop do usuário.

Vamos instalar alguns pacotes com o seguinte comando:
# apt-get install samba smbfs smbclient libpam-mount winbind

O próximo passo é editar o arquivo /etc/samba/smb.conf:
[global]
workgroup = WORKGROUP
netbios name = COMPUTADOR
winbind use default domain = yes
obey pam restrictions = yes
security = domain
encrypt passwords = true
wins server = 192.168.2.1
winbind uid = 1000-20000
winbind gid = 1000-20000
template shell = /bin/bash
template homedir = /home/%U
winbind separator = +
printing = cups
invalid users = root

Edite as primeiras linhas do /etc/pam.d/login para:
session required pam_mkhomedir.so skel=/etc/skel umask=0022
session optional pam_mount.so
auth sufficient pam_winbind.so
account sufficient pam_winbind.so
session required pam_winbind.so

Edite as primeiras linhas do /etc/pam.d/gdm para:
#%PAM-1.0
auth requisite pam_nologin.so
auth required pam_env.so readenv=1
auth required pam_env.so readenv=1 envfile=/etc/default/locale

#@include common-auth
auth sufficient pam_winbind.so
auth sufficient pam_unix.so nullok_secure use_first_pass
auth optional pam_smbpass.so migrate missingok

#@include common-auth
auth optional pam_gnome_keyring.so

#@include common-account
account sufficient pam_winbind.so
account required pam_unix.so

#@include common-account
session required pam_limits.so

#@include common-session
session required pam_unix.so
session required pam_mkhomedir.so umask=0022 skel=/etc/skel

#@include common-session
session optional pam_gnome_keyring.so auto_start

#@include common-password
password requisite pam_unix.so nullok obscure md5
password optional pam_smbpass.so nullok use_authtok use_first_pass
missingok

#@include common-password

Edite as primeiras linhas do /etc/nsswitch.conf para:
passwd: compat winbind
shadow: compat winbind
group: compat winbind

Por último execute o seguinte comando:
# net rpc join member -U admin

Provalmente ele apresentará um erro “Unable to join domain”, execute o comando de novo que aparecerá a mensagem de “Joined domain DOMINIO.”

Você pode efetuar testes com os seguintes comandos wbinfo -u e wbinfo -g eles vão apresentar os usuários e grupos do Samba.
Reinicie o computador e efetue o login.

Bom espero que funcione pra você…

Obs: Este tutorial foi realizado com sucesso no Ubuntu 7.04 com Samba 3.0.24 e servidor Debian com a mesma versão do cliente.

Referências:
http://www.dicas-l.com.br/dicas-l/20060512.php
http://www.guiadohardware.net/tutoriais/samba-pdc/pagina5.html

Autores:
Eduardo Bernardino e Ricardo Caldas

Um LiveCD do seu Ubuntu

O Ubuntu que você instalou, atualizou, configurou e customizou pode ser transformado em um LiveCD, por meio de um software que faz tudo pra você. Quem realiza este milagre é o Remastersys um aplicativo simples de utilizar, que permite você efetuar backup de todo o sistema, criando uma imgem com os dados pessoais ou apenas criar um LiveCD do seu sistema.

Para instalar o Remastersys é muito simples:

1 – Adicione a seguinte linha deb http://www.remastersys.klikit-linux.com/repository remastersys/ no arquivo source.list ou utilize o Synaptic “Sistemas -> Administração -> Gerenciador de Pacotes Synaptic -> Cofigurações -> Repositórios“.

synaptic

Após isso atualize a lista de pacotes através do comando apt-get update ou pelo botão recarregar do Synaptic.

Depois é só executar o apt-get install remastersys ou localizar pelo Synaptic marcar e instalar.

Acabando de instalar você irá em Sistemas -> Administração -> Remastersys Backup.

remastersys

Agora é só escolher a opção mais interessante para sua necessidade dar OK -> OK e aparecerá uma tela de terminal, criando a iso do sistema. Terminado ela  estará dentro do /home/remastersys/remastersys/.

Aí pra testar você pode emular numa ferramenta de virtualização, tipo QtEmu, Virtualbox, etc ou queimar um CD mais provavelmente um DVD e bootar pra ver o que dá.

Espero que a dica seja útil , pois customizei muitas distros tendo que usar mount, chroot, dd, cloop, etc e agora com o Remastersys achei muito mais prático.